quinta-feira, 25 de abril de 2013

1os N e O - Correção OIA 3 - Revisão Expansão Islâmica na Península Ibérica

QUESTÕES VESTIBULAR / ENEM - P. 165

1) (UFJF-MG) O islamismo, religião fundada por Maomé e de grande importância na unidade árabe, tem como fundamento:
a) o monoteísmo, influência do cristianismo e do judaísmo, observado por Maomé entre povos que seguiam essas religiões.
b) o culto dos santos e profetas através de imagens e ídolos.
c) o politeísmo, isto é, a crença em muitos deuses, dos quais o principal é Alá.
d) o princípio da aceitação dos desígnios de Alá em vida e a negação de uma vida pós-morte.
e) a concepção do islamismo vinculado exclusivamente aos árabes, não podendo ser professado pelos povos inferiores.

2) O islamismo, uma religião tão comentada no século XXI, foi fundada por Maomé (570-632). De caráter monoteísta, esta religião, também conhecida por muçulmana ou maometana, foi a base do Estado Muçulmano de caráter teocrático criado por Maomé, que passou inicialmente a dominar a península Arábica. Em face desse enunciado, analise as afirmações seguintes.
(V) A expansão muçulmana, principalmente após a morte de Maomé, fez com que esse Estado dominasse vastos territórios, desde o norte da África, noroeste da China e quase toda a península Ibérica.
(V) O livro sagrado do islamismo é o Alcorão, que teria sido resultado das revelações do Deus Alá ao Profeta Maomé. Além de ditar a conduta religiosa, este livro contém recomendações de como manter a ordem social e os interesses dos grandes comerciantes.
(V) A força do Alcorão, para alguns, deve-se à obediência a alguns princípios como: fazer cinco orações diárias; crer em Alá, deus único, e em Maomé, seu profeta; ir em peregrinação a Meca, pelo menos uma vez na vida; ser generoso com os pobres e dar esmolas.
(V) Maomé, ao pregar o monoteísmo, foi de encontro à religião politeísta que dominava entre os árabes. Entretanto, conseguiu organizar um exército de seguidores e, através dele, proibir o politeísmo e assim unir as diversas tribos árabes em torno da religião.
(V) A decadência do Império Islâmico é atribuída às disputas internas, que provocaram o desmembramento do Império. No entanto, deve-se também levar em consideração a reação dos diversos povos submetidos à dominação árabe.

3) (UFG-GO) A história do Mediterrâneo é a historia das migrações populacionais e da circulação de valores de culturas distintas. Discorra sobre a expansão árabe , a partir da unificação islâmica na idade média.
Os pilares da doutrina islâmica, associados a decência dos impérios persa e bizantino, contribuíram para a expansão dos árabes. Além disso, devemos levar em conta os interesses econômicos dos mercadores árabes, que foram essenciais no processo de expansão islâmica pelo mediterrâneo. O contato com os europeus resultou no aparecimento, na região da Península Ibérica, de uma cultura híbrida, responsável pelo desenvolvimento de várias áreas do saber.

4) (Vunesp) As invasões e dominação de vastas regiões pelos árabes na Península Ibérica provocaram transformações importantes para portugueses e espanhóis, que os diferenciaram do restante da Europa medieval. As influências dos árabes, na região, relacionaram-se a:
a) acordos comerciais entre cristãos e mouros, a fim de favorecer a utilização das rotas de navegação marítima em torno dos continentes africano e asiático, para obter produtos e especiarias.
b) conflitos entre cristãos e muçulmanos, que facilitaram a centralização da monarquia da Espanha e Portugal, sem necessitar do apoio da burguesia para efetivar as grandes navegações oceânicas.
c) difusão das ideias que ocasionaram a criação da Companhia de Jesus, responsável pela catequese nas terras americanas e africanas conquistadas através das grandes navegações.
d) acordos entre cristãos e muçulmanos, para facilitar a disseminação das ideias e ciências romanas, fundamentais, para o crescimento comercial e das artes náuticas.
e) contribuições para a cultura científica, possibilitando ampliação de conhecimentos, principalmente na matemática e astronomia, que permitiram criações de técnicas marítimas para o desenvolvimento das navegações oceânicas.

6) (UFPE 2005) A expansão muçulmana atingiu territórios da Europa, contribuindo para a divulgação de hábitos culturais que marcaram a formação histórica da Península Ibérica.
Além disso, mudou as relações comerciais da época. Em relação a outros povos e à Igreja Católica, os muçulmanos:
a) mantiveram, ao longo de sua história, uma tradição de total tolerância religiosa.
b) eram temidos, em razão do seu grande poderio militar.c) mantiveram uma convivência sem choques culturais, revelando-se, no entanto, intolerantes com os judeus.
d) foram intolerantes e violentos, não assimilando as culturas adversárias.
e) só eram temidos em Portugal, pelos cristãos e pelos judeus, sendo bem aceitos na Espanha.

7) A religião muçulmana, que contribuiu para unificar os povos de origem árabe e lhes forneceu amparo espiritual ao longo de sua expansão,
a) inspirava a forma de governo parlamentar, pois os líderes religiosos reuniam-se numa assembléia proporcional.
b) pregava o politeísmo na medida em que reconhecia a adoração de vários deuses.

c) retirava a sua orientação dos textos considerados sagrados, contidos no Corão.
d) reconhecia em Maomé o único e verdadeiro Deus a ser adorado pelos islamitas.
e) tinha, como seu mais importante centro espiritual, a cidade de Bagdá.

8. (PUC 2004) O Islã, criado a partir da pregação religiosa de Maomé no início do século VII, adquiriu claro significado político com a hégira, migração de Maomé e seguidores de Meca para Medina. As relações do Islã com outras religiões e com o Ocidente foram marcadas 
a) pela capacidade de diálogo e integração, da qual a missa ecumênica é um exemplo, uma vez que os princípios islâmicos apresentam-se como síntese do judaísmo e do catolicismo. 
b) apenas por conflitos, dos quais a jihad, ou guerra santa, é um exemplo, uma vez que os próprios princípios islâmicos determinam a guerra contra judeus e cristãos. 
c) pela expansão territorial e militar do islamismo da qual a conquista da península ibérica é um exemplo, uma vez que os princípios islâmicos pregam a necessária difusão de suas crenças. d) apenas por negociações entre chefes religiosos e políticos, das quais os encontros no Vaticano são o melhor exemplo, uma vez que os princípios islâmicos defendem prioritariamente o entendimento e a submissão. 
e) pela influência de técnicas e de conhecimentos do Ocidente sobre o Oriente, da qual as interferências lingüísticas são um exemplo, uma vez que os princípios islâmicos pregam a ocidentalização do mundo. 

9. O islamismo, nascido no século VII da era cristã, em decorrência das pregações do profeta Maomé,
marcou profundamente a História do Ocidente Medieval.
Com relação ao islamismo, das origens aos dias atuais é lícito concluir que:
a) O islamismo, desde o seu surgimento, opõe-se radicalmente às tradições religiosas judaico-cristãs ao pregar a crença em um só Deus, Maomé.
b) A expansão e a ocupação islâmica da Península Ibérica teve início no século VIII e só findou em 1492, quando os mouros foram expulsos do Reino de Granada pelos reis católicos Fernando e Isabel.
c) Embora a religião seja um dos fundamentos da civilização islâmica, os muçulmanos exerceram forte influência no Ocidente Medieval ao preservarem conhecimentos sobre a filosofia antiga.
d) Apesar do legado cultural na arquitetura, na ciência, na literatura e na agricultura, os árabes não conseguiram controlar o comércio no mediterrâneo, que continuou sendo exercido exclusivamente por europeus.
e) Diferentemente do cristianismo, que se dividiu em duas Igrejas (Ocidental e Oriental), os muçulmanos, durante toda a Idade Média, preservaram uma religião unida, e a divisão entre xiitas e sunitas que conhecemos hoje resulta dos desdobramentos políticos da criação do Estado de Israel.

10. “A Idade Média européia é inseparável da civilização islâmica já que consiste precisamente na convivência, ao mesmo tempo positiva e negativa, do cristianismo e do islamismo, sobre uma área comum impregnada pela cultura greco-romana.” José Ortega y Gasset (1883-1955).
O texto acima permite afirmar que, na Europa ocidental medieval,
a) formou-se uma civilização complementar à islâmica, pois ambas tiveram um mesmo ponto de partida.
b) originou-se uma civilização menos complexa que a islâmica devido à predominância da cultura germânica.
c) desenvolveu-se uma civilização que se beneficiou tanto da herança greco-romana quanto da islâmica.
d) cristalizou-se uma civilização marcada pela flexibilidade religiosa e tolerância cultural.
e) criou-se uma civilização sem dinamismo, em virtude de sua dependência de Bizâncio e do Islão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário